274 | Não sou homofóbico, sou Cristocêntrico

O Budismo tem a sua Bíblia, que é o manual de fé, práticas e condutas das práticas budistas, com valores morais, éticos e espirituais: Ela se chama Tripitaka e foi escrita em ‘Páli‘ uma língua da Índia antiga, também chamada de língua morta. Para os budistas é a Lei deles.

No Espiritismo não existe uma ‘Bíblia’, o que existe é a doutrina baseada em cinco “obras básicas”, chamadas de Codificação Espírita (esses cincos volumes, juntos, fazem as regras e as leis do Espiritismo). A Codificação Espírita foi publicada por Kardec entre 1857 e 1868. A codificação é composta por 5 livros: O Livro dos EspíritosO Livro dos Médiuns, O Evangelho segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno e A Gênese. Esses cincos volumes, juntos, são os manuais de fé, práticas e condutas das práticas espíritas, com valores morais, éticos e espirituais. Para os espíritas eles (os livros) são as Leis deles.

Para o Islã (religião muçulmana) o Alcorão ou Corão é o livro sagrado do Islã. Os muçulmanos creem que o Alcorão é a palavra literal de Deus revelada ao profeta Maomé ao longo de um período de vinte e três anos.  A palavra Alcorão deriva do verbo árabe que significa declamar ou recitar; Alcorão é portanto uma “recitação” ou algo que deve ser recitado. O Alcorão é o manual de fé, prática e conduta dos muçulmanos, com valores morais, éticos e espirituais. É a Lei deles.

Até a religião Católica tem a sua própria Bíblia, ela possui, além dos 66 livros da Bíblia usada por nós, os Evangélicos, ela possui outros sete livros completos (TobiasJudite, I MacabeusII MacabeusBaruque, SabedoriaEclesiástico) e alguns acréscimos aos livros de Ester (10:4 a 11:1 ou a 16:24) e Daniel (3:24-90; caps. 13 e 14). Ela é também chamada de Bíblia Ave Maria e é o manual de fé, práticas e condutas dos católicos, com valores morais, éticos e espirituais. É a Lei deles. Não é muito diferente da nossa.

Agora Pare, Pense e Reflita comigo: Se os Budistas, os Espíritas, os Muçulmanos e os Católicos tem as suas Leis, que são as regras de fé, práticas e condutas com valores morais, éticos e religiosos (espirituais), por que nós Evangélicos não podemos ter a nossa?

A nossa Lei é a Bíblia que foi traduzida do Latim para o Grego e posteriormente para o espanhol por João Ferreira de Almeida, e depois para o português, e ele começou essa tarefa em 1644, aos 16 anos de idade e foi concluir a tradução do Novo Testamento entre 1658 ou 1681 (não existe uma definição exata para esta data). Existe uma tese (aceita por muitos historiadores) que João Ferreira de Almeida concluiu a tradução do Novo Testamento em 1676 na região da Batávia (uma grande ilha fluvial), que fica nos países baixos (Holanda e Europa ocidental).

Então o que eu quero te dizer? Se a bíblia dos Budistas, Espíritas, Muçulmanos e Católicos são as suas Leis e são as regras de fé, práticas e condutas com valores morais, éticos e religiosos (espirituais) que dirigem às suas vidas e os seus passos, por que a minha também não é a minha Lei? Por que eu não posso expressar e cumprir a minha Lei? Ela é a minha Lei que define os meus passos e ponto final.

E na minha Lei esta escrito tanto no Antigo Testamento como no Novo Testamento que ‘Não se deite com um homem como quem se deita com uma mulher; é abominação (um ato repugnante)’ Levítico 18:22 e também está escrito que ‘semelhantemente, os homens também, deixando o contato natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seu erro. E, por haverem desprezado o conhecimento de Deus, o próprio Deus os entregou a uma disposição mental reprovável (depravado), para praticarem coisas inconvenientes‘ Romanos 1:27,28.

E a minha Lei diz que de fora do céu (vão para o inferno pois foram condenados pela minha Lei) ficarão um certo ‘grupo’ de pessoas ‘Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros (quem comete adultério), nem efeminados (homossexuais), nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores (não) herdarão o reino de Deus‘ 1 Coríntios 6:9,10.

Agora vamos Parar, Pensar e Refletir: Se a minha Lei diz que as práticas homossexuais (sexo entre homem com homem e sexo entre mulher com mulher) é Abominação, é um Ato Repugnante, é uma Torpeza e é um Ato Depravado (moralmente degenerado, perverso e degradado), então quando eu não concordo com a prática homossexual eu não estou sendo homofóbico em momento algum, eu estou sendo Cristocêntrico, pois a Bíblia aponta para o Messias (Jesus) o tempo todo, e se ela é a minha Lei, eu apenas estou no meu direito de cumprir a Lei em que eu acredito, da mesma forma como os Budistas, Espíritas, Muçulmanos e Católicos acreditam em suas Leis. o direito deles de defenderem os seus direitos e as suas leis, é o mesmo que eu tenho de defender os meus direitos e as minhas Leis.

Ou então se você é um VERDADEIRO defensor da causa homossexual, vá num país Islâmico e diga para eles que Maomé não é profeta e o Alcorão é um Gibi da Turma da Mônica! E diga que você é homossexual assumido, e perceberás que eles são assumidamente Muçulmanos.

Prepare-se para morrer violentamente, pois os Muçulmanos levam MUITO A SÉRIO as suas doutrinas e uma delas é: Homossexualismo é crime.

Eu não sou homofóbico eu apenas cumpro a minha Lei.

Vou te dar outro exemplo de que não somos homofóbicos: a homossexualidade é considerada um crime e é punida com a pena de morte em muitos países islâmicos (Muçulmanos), como na Arábia Saudita, no Sudão, na Somália, na Mauritânia, no Irã, no Egito, na Tunísia, na Indonésia, no Líbano, em Kosovo, na Bósnia e na Albânia. Só para citar alguns exemplos. (Estou pensando em mandar de presente uma passagem de férias de ‘first class’ para um Deputado!) Será que ele vai aceitar?

Aqui no Brasil não condenamos os homossexuais à morte, antes oramos para que eles deixem de cometer as práticas depravadas (segundo a minha Lei) e que se convertam ao Senhor Jesus.

Que fique claro: Nós amamos os homossexuais mas não concordamos com as suas práticas depravadas (depravadas segundo a minha Lei).

O mesmo direito que o homossexual tem de ser homossexual (e defende o seu direito) eu tenho o direito de ser heterossexual (e defendo o meu direito e a minha Lei) de ser hétero e gostar só de mulher (e gosto muito).

Ficou claro, defensores LGBTs?

Léo Vilhenna
Pastor, Teólogo, Jornalista e Blogueiro

Um comentário

Os comentários estão fechados.