082 | Nem tudo que reluz é ouro

O mundo esta mesmo de cabeça para baixo. Eu sou de uma época em que as coisas eram diferentes e não tão escrachadas. Os homens eram mais homens e gostavam de mulheres e as mulheres gostavam mais de homens.

Os homens tinham posturas e gestos de homens e as mulheres eram mais delicadas. Hoje em dia tem muita coca que é fanta e ‘Rex’ que é ‘Lassie‘. Você conversa com um cara marombadão de academia na fila do mercado ele diz: ‘Prazer, sou Jéssica e sou bailarina‘.

Esse texto Não se trata de homofobia, mas da minha incapacidade mental de processar a informação de que a ‘moça’ dessa foto (que é linda) e que se chama ‘Sofia’ e que mora em Aracaju, Sergipe, deu entrada numa delegacia por ser vítima de um estuprador, registrou uma ocorrência e foi bem tratada.

E tinha que ser mesmo.

‘Ela’ estava dentro de um ônibus e um estuprador ‘sortudo’ resolveu sentar-se ao lado dessa bela ‘moça’ e colocou a mão debaixo de sua saia. Ao invés de achar pepeca ele achou um bingolim e espancou a ‘moça’.

Se eu estivesse de plantão naquela DP eu iria me recusar registrar aquele B.O. pois quando eu fosse perguntar:

– Qual é o seu nome minha querida?

Ela responderia e eu não ira acreditar:

Ricardo Favero (Nome de batismo da moça).

Eu não iria conseguir diferenciar ela, dele. Homofobia? Não! É que acho que eu tenho deficiência mental…

Léo Vilhena
O mundo tá doido, confessa para mim: Se você fosse jovem e SOLTEIRO e essa ‘gata’ desse em cima, você não levaria para o cinema e não tentava beijar esse ‘filé’?

Anúncios

Um comentário sobre “082 | Nem tudo que reluz é ouro

Os comentários estão desativados.