045 | Se oferendas ao mar é para agradar, parece que Iemanjá não curtiu

[ Esse texto foi originalmente escrito e publicado em Janeiro de 2005 e foi recuperado pelo Analista de Sistemas Anísio Jr de São Paulo. Obrigado amigo ]

É amados… A coisa anda braba para todos os lados.

Nesta virada de 2004 para 2005, eu estava no interior do Rio de Janeiro, mas precisamente na cidade de Iguaba Grande, que fica ao lado de Cabo Frio, e ao acordar na manhã do já vistoso dia 1º de Janeiro de 2005, que despontou com um belo sol, a praia calminha, calminha, sem nenhuma onda, eis que me deparo com uma cena inusitada e para mim, ao mesmo tempo, extremamente engraçada.

Ao sair para dar a minha caminhada matinal à beira da praia, eu devo ter percorrido uns 5 quilômetros, do centro a Praia do Popeye, estava de CD Player no ouvido escutando o CD WE ARE ONE (gravado ao vivo na África pelo Hosana Music!) eis que me deparo com tal cena:

Centenas de barquinhos azuis e brancos que foram “oferecidos” a Iemanjá na virada do ano, estavam “encalhados” à beira-mar. E por causa disso, um monte de frutas, doces, vinhos, champagnes, pró-secos, aguardentes, sidras e outras coisas a mais “oferecidas” a “santa”, tomavam banho de sol em plena Praia de Iguaba Grande, e davam trabalho para os funcionários da Companhia de Limpeza Urbana, que tinham que retirar todo aquele lixo, que estava ‘pegando’ um bronzeado à beira-mar.

Não pude deixar de rir, ante àquela cena, por um motivo bem simples de se entender: ‘Se oferecer barquinhos à Iemanjá é um sinal de pedido de “proteção” ou de reconhecimento por “graças” recebidas, tem gente que começou mal o ano, pois alguém lá embaixo não curtiu as “oferendas’

Se oferendas ao mar é sinal de agrado a Iemanjá, acho que ela não gostou e mandou devolver todas as oferendas e ficou ‘furiosa’ de raiva.

E por não saber o endereço de todo mundo, pois era muita gente, apenas despejou na praia, os seus “belos” presentes.

Pelo jeito, tem gente que começou mal o ano de 2005. Está sem proteção… Não pude deixar de rir.

MAS EU QUERIA DIZER QUE A VERDADEIRA PROTEÇÃO VEM DE DEUS, JESUS É A NOSSA COMPANHIA CONSTANTE E ELE NUNCA REJEITA A NOSSA GRATIDÃO, OFERTA OU SÚPLICAS, SE ELAS FORAM OFERECIDAS POR UM CORAÇÃO ADORADOR.

COMECE BEM O ANO DE 2005. COMECE COM JESUS!

Léo Vilhena
* Esse texto foi publicado em 2005

 

Anúncios

Um comentário sobre “045 | Se oferendas ao mar é para agradar, parece que Iemanjá não curtiu

Os comentários estão desativados.